Todo dia é dia de feira

Segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira … é feira que não acaba mais, e assim foi minha semana que passou. Entre a Agrishow, em Ribeirão Preto, e a ExpoZebu, em Uberaba, foram quatro dias de visita e trabalho nesses dinâmicos templos de apresentação de produtos, serviços, tecnologias e inovações, de compra, venda e marketing, de relacionamento comercial, profissional, político e pessoal, de lançamentos, enfim, de experiências que me proporcionaram ao menos um tema para um artigo de domingo.

As feiras, dizem, tiveram início há cerca de 2.500 anos e ficaram mais conhecidas na Idade Média com aglomerados de barracas e pessoas comercializando de tudo um pouco e sempre à base de negociação. Não esqueçamos das feiras livres, essas nas quais compramos alimentos fresquinhos toda a semana em meio a uma imensa gritaria e que se espalham Brasil afora – são mais de 6 mil em cerca de 1.100 municípios.

Mas voltemos aos eventos de negócios e constatamos que somente o Estado de São Paulo promove cerca de 800 feiras, exposições e congressos por ano movimentando o turismo, as oportunidades de trabalho e a economia. É o que percebemos ao vivenciar a Agrishow, uma imersão no “Agro é Pop, Agro é Tech, Agro é Tudo”. Primeiramente, temos que deixar a zona de conforto de nossos escritórios e a segurança e sedentarismo da navegação digital para uma aventura real. Nos deslocar através de um tráfego “paulistano” até o evento e, ao conseguir adentrá-lo, caminhar alguns quilômetros nas suas ruas cheias de gente, surpresas e novidades em estandes faraônicos e convidativos, com destaque para aqueles com máquinas descomunais.

Em razão do grande fluxo de pessoas, é ali que os políticos resolvem estar mais próximos de seus eleitores. Em que outro lugar poderíamos encontrar o presidente, o governador e o prefeito num mesmo dia? É Poder Executivo pra nenhuma esfera botar defeito! Pois os três estavam lá na abertura… o presidente, um pouco desalinhado, talvez em função de parecer estar vestindo um colete à prova de balas, mas desejoso de baixar os juros dos empréstimos ao produtor rural mesmo às custas de desvalorizar o Banco do Brasil no tocante às suas ações, tá ok?

Já o governador, sempre alinhado, embora de calça branca em feira do agro, aproveitou para ele mesmo discursar, organizar e comandar uma coletiva de imprensa e reforçar temas relacionados à … segurança. Isso mesmo, anunciou que Ribeirão Preto finalmente ganhará seu batalhão especial de polícia para combater a criminalidade. O prefeito mostrou-se em sintonia com o governador e juntos prometem também trazer mais um restaurante popular, desta vez nos arredores do Hospital das Clínicas – boas notícias que esperemos serem concretizadas.

Essa sensação de proximidade do poder, nem que seja uma vez por ano, instiga os visitantes e expositores da Agrishow e as selfies se proliferam. No entanto, mais bacana na feira é encontrar os velhos conhecidos, aqueles que não vemos há muito tempo. Um encontro casual no estacionamento, uma esbarrada na entrada de um estande ou uma cruzada de olhares no restaurante ou auditório já são suficientes para um bom dedo de prosa, o resgate de lembranças quase esquecidas ou até a possibilidade de um novo negócio ou parceria.

Bom também ver os jornalistas em ação em tempos em que as redações de veículos estão desaparecendo ou minguando e as fake news incomodando. Presenciar a sala de imprensa da Agrishow movimentada e profissionais de jornais, revistas, de emissoras de rádio e TV e, claro, da internet, correndo atrás de notícias, participando de coletivas e sendo abordados por assessores de imprensa, mostra ainda certa vitalidade no jornalismo, uma profissão que anda meio em xeque.

Há também as palestras com especialistas, nas quais sempre aprendemos e nos atualizamos, e a presença de alguma celebridade, como por exemplo, cantores sertanejos. E em meio a toda essa diversificada programação e um vai e vem frenético, visitantes e curiosos aproveitam o ambiente para um lazer especial que inclui a busca de brindes, salgadinhos ou de sorrisos de recepcionistas bonitas. Na 85ª ExpoZebu, o agradável recinto de exposições convida para um passeio em ruas arborizadas, restaurante permanente, parque de diversões para a criançada e shows de música, além de competições, leilões e a confirmação do melhoramento genético da raça zebu.

A ironia é que o termo “feira” tem sua origem em feria, que em latim significa “dia de descanso”. Descanso uma ova! Um dia de trabalho na Agrishow ou na Expozebu representa uma verdadeira maratona de atividades, contatos e, obviamente, transações que geram alguns bilhões em negócios e um vigoroso cansaço. Melhor assim, a vida e o capitalismo se renovam durante uma semana carregada com a intensidade de um mês.

Gustavo Junqueira / Jornalista

IMG_9174

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: